Lamparina e lampião

O capítulo 2 do livro “Os meninos da Rua Albatroz” também faz referência a dois utensílios que era utilizado naquele tempo em que no Brasil, embora emergente tecnologicamente, ainda havia residências que não contavam com energia elétrica por não ser o conforto tão acessível. Isso acontecia na casa da família protagonista, que no referido capítulo tem os patriarcas a levar uma discussão à luz de lamparina e de lampião, duas lâmpadas que funcionavam à base de querosene, que era queimado para gerar chama e esta era engrandecida devido à redoma de vidro, no caso do lampião, ou ao pavio alto, no caso da lamparina. A fumaça que saída do utensílio tinha um cheiro marcante e provocava fuligem nas paredes dos cômodos onde elas eram fixadas para iluminar. A solução serviu a muita gente em pleno centro urbano, mesmo em capitais brasileiras que já estavam em desenvolvimento há bastante tempo de então.

LAMPARINA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: