Em busca da regalia que você não tem

“Se um homem não descobriu nada pelo qual morreria, não está pronto para viver”.
Martin Luther King

“Se a sua vontade de matar for maior do que o seu medo de morrer, então, você é um homem livre. Ninguém te usa, ninguém te impõe crenças, ninguém te torna reverente”.

A frase acima é minha. Algum problema? Quando se fala em matar, não se está falando invariavelmente em matar um ser humano. Se você não está feliz com seu emprego e não vê perspectiva no sistema para mudar essa realidade encontrando um emprego que o satisfaça, então, o que você deve fazer é procurar entender as razões para você achar que precisa estar empregado.

Quais são os seus medos e as suas crenças que o faz pensar nisso? Quando souber a resposta livre-se deles. Mate-os. compreendes?

É óbvio que o que mais faz você pensar que precisa do trabalho é conseguir dinheiro para pagar tudo. Você não consegue imaginar que quase tudo que você precisa há gratuito por aí. Não se culpe por isso, todos nós somos assim. Somos preparados ideologicamente em nossa fase de iniciação na sociedade para pensar isso. É uma programação mental muito forte, que desde a infância nos acomete.

Se você acha que precisa trabalhar para se alimentar, verifique quais são os alimentos que você pode utilizar sem ter que usar dinheiro. Libertando-se da força que o sistema tem para te instruir, você criará condições para se auto-instruir. Você perderá crenças.

Você achar que precisa de leite, de carne, de grãos todos os dias para se sentir alimentado é crença. Há tantos nutrientes em feixes de capim quanto há nesses alimentos. Senão, o cavalo não cresceria o tanto que cresce e nem teria a força que tem.

O sistema te cria a crença de que o capim serve para os ruminantes, mas não serve para você. E o bovino, por exemplo, é mamífero, assim como voce é. Temos a mesma estrutura orgânica. E quem diz isso é o próprio sistema. Porque é gratuito é que não serve?

No Exército, lendo os manuais de sobrevivência, o capim serve tanto para o soldado quanto para o cavalo.

No meio urbano você tem alimentos mais saborosos ou mais bonitos para comer. Foi disciplinado e se acostumou com isso. É tudo então uma questão cultural ou de preconceitos. De achar-se miserável, fracassado, que não está funcionando e por isso está comendo lixo.

Capim não é menos lixo do que a comida industrial. Capim é orgânico, não é sintético. Serve ao homem há mais de dez mil anos. A instituição do sabor ou da higiene são crenças que embutem na nossa mente para nos controlar. Exatamente para não criarmos independência, para não nos tornarmos irreverentes e passarmos a comer qualquer coisa só para não ter que se sujeitar ao sistema industrial. Assim como fazem o mendigo e o vagabundo.

Se voce não deixar que o sistema te imponha as regras de alimentação, se você matar suas crenças e seus medos nesse escopo, você se torna um ente livre quando o assunto é nutrição.

O mesmo vale para a água. Por que razão a água de um riacho ou de uma cisterna, fervida e filtrada posteriormente, não serve para o consumo? Por que tem que vir da companhia de saneamento a água para consumo? Fora dar lucro para uma empresa e emprego para pessoas não há nenhum outro motivo para ter exclusividade essa água. Antigamente, mesmo nas cidades, se bebia água de poços. Flúor e cloro, além de fazer mal, não havia na água potável urbana antes de 1920.

Liberte-se de suas crenças e de seus medos e boicote o trabalho, a habitação, o consumo e o que mais for instituição que necessita dinheiro para se quitar. Só assim o sistema vai te temer e pensar em te dar as regalias que os privilegiados têm. O sistema não suporta indiferença.

Ele só vai te impedir de ser independente enquanto você for um apenas. Mas, você deve fazer primeiro em você a mudança que quer ver no mundo. Quando muitos te imitarem, a parte dominante e opressora da sociedade vai se vir em perigo. E ao te vir escapando do controle irá fazer de tudo para recuperá-lo. É aí que você encontrará um bom emprego, talvez como você quer. Melhor, com certeza.

Se todo mundo aprender a ignorar sua dependência do sistema, quero ver político, que vive do imposto que você produz com seu trabalho e com o seu consumo, cantar de galo quando tem oportunidade de tirar os seus direitos, de tirar do Poder quem te representa e te defende, só porque a gestão deste alguém o incomoda ou porque te favorece e prejudica os cartéis que Ele defende em troca de regalia corrupta e da mordomia que voce, trabalhador, não tem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: