Palavras trazem conquistas

As duas tribos se preparavam para travar uma luta por território. A que vencesse teria mais espaço para plantar e para criar animais, além de caber nele, com conforto, todos os membros da população humana da tribo. E assim, a vencedora estaria fadada a sobreviver por mais tempo e a viver sem privação. De quebra, ainda poderia escravizar o que restasse do exército derrotado.

Elas tinham as mesmas armas e os guerreiros igualdade de condições. Técnicas e de porte físico. O que diferenciava as duas colônias era o dialeto que cada uma falava. Todos eles rudimentares, mas o de uma dessas comunidades tinha muito mais verbetes do que o da outra.

Partiram elas para o front de batalha e nele as estratégias militares dos líderes eram expostas para seus seguidores. Em um dos lados, o que seria o general deu ordem para que dois de seus subordinados escondesse atrás de uma rocha e aguardasse até que o inimigo cruzasse a fronteira, para enfim, surpreendê-lo com pedradas severas.

Consta que um dos subordinados do que seria o general do outro lado viu o acontecimento. Ele viu os dois soldados inimigos indo armados para trás da rocha os esperar. E ele tentou avisar aos seus. Fazia gestos, pois, no dialeto que eles falavam não tinha um verbete que expressasse imediatamente a ação de esconder para atacar. O que em português significa emboscar. E, na tensão do combate, não dava tempo para nenhum dos combatentes ou dos seus líderes se dar ao luxo de decodificar gestos ou até mesmo criar uma palavra para corresponder ao que o homem tentava expressar, para esta ficar registrada para a posteridade da tribo, pois era só o que aconteceria se dessem preferência para a decodificação de sinais. Foi por causa deste pormenor que a tribo perdeu a batalha e foi escravizada: a falta de um vocabulário rico. Erro primitivo, porém, nesta história foi cometido quando era próprio de se cometer

Esta é a forma que encontrei para responder àqueles que me criticam por eu usar palavras que consideram difíceis. Muitas vezes, uma única palavra expressa muito mais diretamente um fato do que as usuais combinadas entre si. O melhor que temos a fazer é tirá-las do obsoletismo e nos valer delas. Elas não têm que ficar guardadas no dicionário fadadas ao arcadismo, uma vez que são tão valiosas.

Procurar melhorar a cultura é só mais um meio de evitar a escravidão e a privação de benefícios. Pense nisso!

As palavras te trazem coisas e aquilo que você comumente fala você já tem. Se você quiser coisas que ainda não tem, utilize comumente palavras que você não usa. Ao se vir entendendo o significado e usando palavras que antes sequer conhecia, faça uma comparação entre os dois tempos e veja como você evoluiu socialmente a partir do momento que resolveu deixar de lado o preconceito autosabotador e percebe que a felicidade é mesmo possivel de se alcançar e que isso só depende de você.

A propósito, se tiverdes lido até aqui, conhecerdes um segredo bastante restrito que possibilita voce mesmo mudar sua vida. Portanto, mantenha o habito de ler, pois é outro facultador de conhecimento e, consequentemente, de riqueza.

1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. (João 1,1)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: