Desprezo o sistema, por isso sou livre

Sei que eu sou um inútil para você que precisa que eu funcione dentro da sociedade que você manipula. Sei que te incomoda o fato de eu não ser reverente às suas ofertas de vida farta e de abundância, moderna e cheia de facilidades. Eu não acredito nas suas mentiras e sei que te incomoda o meu jeito de ser. Sei que você se preocupa com o fato de eu contaminar outras pessoas e elas passarem a ser como eu sou. Será a ruína para você. Deixará de ser ruína só para aqueles que te dão ouvidos e a duras penas se mantém fazendo aquilo que você espera que eles façam.

Sim, eu não dou atenção para o futebol ou para qualquer outra competição esportiva. Sei que você precisa que eu me programe com a matriz de mero torcedor.

Eu também não procuro estar na moda para massagear o meu ego e garantir que os outros não pensem que eu seja anacrônico. Preocupar com essas besteiras garantem o consumo que você espera que eu dê enquanto eu poso de otário ao pensar que estou de acordo com o que usa a contemporaneidade.

Não, eu não bebo Coca-Cola e nem tampouco consumo produtos Nestlé. Eu vou de orgânicos, é o que eu preciso. O sabor industrializado não corrompe minha mente e por isso a indústria de remédios terá que usar de outras táticas para me levar para o consultório de médicos e deixar neles o dinheiro que ele esperam que eu lhes dê.

Não, eu não reconheço nenhum Jesus como meu salvador do que quer que seja e nem tão pouco o espero voltar. Sei bem do que se trata essa farsa e milagre para mim seria essa máscara cair e com isso o povo se rebelar contra os exploradores das religiões.

Que se dane o telefone celular, você não me vê escravo disso. E nem de tecnologia nenhuma. Quero mais é ser livre e não ter a minha mente escravizada por inventos humanos criados exatamente para escravizar pessoas e as tornar refém de suas paixões insanas.

Não, eu não caio mais na jogada de por na cabeça das pessoas que elas precisam ser bem sucedidas, que elas têm que gastar um bom dinheiro com escolas, fazer uma boa faculdade, viajar pelo menos uma vez para o exterior, falar inglês e conseguir um bom emprego, em uma função considerada branca, e com isso ganhar muito dinheiro e passaporte para participar do círculo de pessoas que têm a necessidade de pisar nas outras para se sentirem vivas. Que se dane esse modelo imbecil de se situar na sociedade. Não vou pagar o preço.

E quanto ao sexo, sinto muito, mas já desvencilhei-me disso também. É outra coisa que metem na cabeça da gente para ser cultuada e que não se importam nem um pouco se sofremos por causa da dificuldade de se conseguir sem se recorrer aos mais dispendiosos hábitos capitalistas ou sem se prostituir. Sei que já me iniciei nisso e é como uma droga, mas, sei também o que fazer para me redimir do erro de ter me deixado pensar que sexo é necessidade fisiológica ou que eu preciso incondicionalmente de um parceiro para me saciar. Não acato mais a nenhum tipo de dogma e nem me digno a lançar a qualquer tipo de cerimônia para realizar interesses que no fundo não são meus, implantaram-me-nos.

Não, eu não tenho que ser direita, eu não tenho que ser condescendente com conservadores para eu me sentir funcional para o meio social e tendo a existência garantida sem privação. Se eu não crio em minha mente toda a ambição e dependência que você precisa que eu crie para eu obedecer ao seu sistema eu não preciso de nada do que você me oferece. Sei que eu me torno, agindo assim, ameaçador para o seu status quo e que você pode querer me matar ou utilizar a sua influência no meio que governa e cercear minha conduta, denegrir minha imagem ou me incriminar com crimes que eu não cometi e que por certo eu jamais cometeria, já que nada do que você me oferece eu preciso. Mas, vou continuar assim: humilde, resiliente, sem qualquer vontade de agregar-me ao seu american way of life. O jeito escravizado de viver. O que muda é que não mais te importunarei tentando escrever para pessoas se conscientizarem do que as faz infeliz e tomar o procedimento correto. As pessoas não leem e estão cooptadas pela sua mídia para agir exatamente do modo que elas agem, que é o que te favorece. Não vale o esforço tentar tirá-las da prisão, por isso, não me dignarei mais em fazê-lo. Se o exemplo influencia mais, que aqueles que me veem rejeitando o sistema se espelhem em mim e se libertem sem que eu tenha que lhes dizer qualquer coisa.

Muita gente diz brigar pela liberdade e pela democracia, acusa as pessoas que estão no poder de cercearem sua liberdade e cassarem seus direitos e nem de longe admitem viver uma vida como essa que levo, que me torna completamente independente do sistema. E é só assim, com todo esse boicote, que se pode vencer os ofensores que estão no controle e passar a viver como se deveria, com dignidade.

Boicote o sistema e se torne dono de si!

NÃO leia o livro “Os meninos da Rua Albatroz”, pois, se o fizer, você se libertará de todas as trapaças do sistema que incidem em você e não mais conseguirá viver essa vida de contribuinte e de ente que se deixa ser iludido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: