O que Jair Bolsonaro herdou de Carlos Marighella?

jairmarighella

Postei recentemente no Facebook, enquanto eu compartilhava a informação, sobre Julian Lemos, um dos 28 homens nomeados para compor a equipe de transição do presidente eleito Jair Messias Bolsonaro (PSL), conforme o O Globo. Equipe que irá recolher informações do atual governo para, a partir disso, pensar nas ações para o próximo.

integrantegoverno

O O Globo informa que “Na ficha de Julian, que coordenou a campanha de Bolsonaro no Nordeste e foi eleito deputado federal na Paraíba neste ano, constam uma condenação por estelionato em primeira instância em 2011, que prescreveu antes de novo julgamento, e três processos por violência doméstica entre os anos de 2013 e 20“.  Entre aspas, trecho retirado do site da revista Marie Claire.

No meu post eu alertava que as notícias deploráveis acerca do presidente, quer sejam sobre a composição de seu ministério e assessores, quer sejam sobre outros nichos de notícia, chegam fáceis demais até o público. Parece proposital que Bolsonaro quer que o repudiemos ou que nos confundamos e desviemos a atenção do que poderia nos passar percebido e estragar-lhe os planos.

Daí, vi no site do jornal The Intercept a informação sobre uma tática que os marqueteiros de Jair Bolsonaro estão usando para forçar o público a depreciar a imprensa, fazê-lo pensar que ela espalha notícias falsas sobre o presidente eleito pela minoria.

Emissários de Bolsonaro procurariam a imprensa para soltar notícias venenosas sobre ele especialmente para os veículos publicarem e depois serem desmentidas pelas próprias fontes das informações. Coisa que funcionou algumas vezes, mas, com certeza não funcionará mais porque os veículos de imprensa também são cobra criadas nesse tipo de articulação, apenas menosprezaram a capacidade de jogar sujo e a determinação de Bolsonaro em combater a imprensa, como faz Donald Trump nos USA.

Então, me pus a pensar: Isso é tática de marxismo cultural. E o ministro de relações exteriores de Bolsonaro, Ernesto Araújo, disse que não tolera isso e dentre vários assuntos dignos de serem tipificados de teoria de conspiração que ele teclaria em seu blog estariam conteúdos combativos da modalidade de terrorismo ideológico e produção de desinformação em massa.

Me lembrei logo do Carlos Marighella. O combatente da ditadura militar que Jair Bolsonaro não gosta nem de ouvir falar. Marighella escreveu o “Minimanual do guerrilheiro urbano”, no qual, além de táticas de ataques militares e paramilitares existem muitas informações sobre guerrilha psicológica. E desinformar a população para jogá-la contra o sistema está dentre as páginas do manual.

Além de blogueiro em um dos ministérios vamos ter que aguentar um marxista combatente do marxismo? Ou será que essas duas informações estão erradas e eu estou caindo que nem patinho discorrendo sobre elas?

Bem, sou apenas um escritor de opiniões!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: