Estados Unidos X Irã: A guerra que querem que você crie

iraeuadois

Estive conversando com duas amigas, ambas de religião protestante, e elas me pediram pra opinar sobre o noticiário que ronda o recente conflito entre os Estados Unidos e o Irã. Elas se apresentaram muito preocupadas e o bafafá dado na imprensa de extrema-direita não passa de sensacionalismo e estratégia de recrutamento de adesões aos interesses sionistas capitaneados pelos Estados Unidos.

Me senti, então, na obrigação de escrever daquelas minhas teorias prováveis e fora da caixa, a fim de gerar um senso crítico e ajudar a tomar o procedimento mais adequado. Uma das amigas viu em algum veículo de comunicação corporativo ou dentro da própria igreja – que também são veículos de comunicação dos manipuladores de comportamento social – que o presidente Jair Bolsonaro estaria leiloando os brasileiros para lutarem em uma possível Terceira Guerra Mundial a favor de seu grande colonizador, os Estados Unidos, o que trouxe a ela muito medo, chegando a própria a me perguntar se o nosso Estado, Minas Gerais, corria o risco de ser bombardeado e destruído e chegou a se arrepender de ter votado no então candidado do PSL. Infelizmente, agora é “aceita que dói menos”.

Antes de qualquer coisa, faço uma pergunta: Por que quando o impasse era entre Coréia do Norte e Donald Trump não havia esse temor todo? O Irã não ameaça mais em termos de ataque com uso de armas nucleares do que os norte-coreanos. Os Estados Unidos não terão qualquer dificuldade se quiserem liquidar o Irã em uma batalha militar. A vantagem dos iranianos é tornarem a guerra inviável economicamente, uma vez que as tropas do país é especialista em defesa anti-aérea e em transformar o conflito em guerrilha. Se a guerra ficar cara, o Tio Sam arreda o pé. Não é de lutar pra perder dinheiro.

Bem, andando mais para frente, me choveu links para acessar esses vídeos hipócritas sensacionalistas que gente dessas próprias igrejas postam no Youtube e espalham pânico com desinformação da pior espécie. Gente que está a serviço de criar medo e estabelecer crenças nas pessoas, de maneira que a crença delas é que vão garantir o cumprimento da verdade imposta pelos virais.

Um desses vídeos veio enaltecer uma profecia descrita em Ezequiel 37, no Antigo Testamento, chamada “Guerra de Gogue e Magogue” combinada com outra chamada “Ossos secos”. Nações se aliariam para combater Israel. E como se não bastasse ainda viriam, como quem me indicou disse haver no conteúdo, aqueles terrorismos envolvendo o chip 666; redução de dois terços da população mundial. Eu nem perdi meu tempo acessando o vídeo e já fui teclando o que seria minha resposta ao produto audiovisual de quinta categoria.

Teclei:

O povo está se precipitando demais. Se todos ignorarem essas notícias, os
objetivos dos que as estão maquinando não serão cumpridos. Os Estados Unidos estão muito incomodados com o crescimento bélico do Irã. Esse crescimento garante ao país árabe grande produtor de petróleo a defesa em grande estilo dos seus interesses e sua liberdade comercial no campo em que é competitivo e depende dele para sobreviver como nação livre. Por isso, os Estados Unidos usam como estratégia os textos bíblicos, a fim de alcançar apoio dos que se deixam impressionar pelas pregações evangélicas. É só terrorismo informacional, nada mais. Se ninguém der bola, se as pessoas lerem o livro “A chave de Hiran”, por exemplo, para entender o tanto que a Bíblia é um livro interpretado conforme interesses dos que dominavam o mundo na época em que foi compilado e que hoje derrotados veem darem as cartas e manipularem a humanidade os judeus que em tal época eles perseguiam, o tiro sairá pela culatra.

A Bíblia não tem nada de sagrado e nem de profético. Qualquer suposta profecia propagada como a haver nesse livro pode hoje facilmente ser construída. Temos que sair das mãos dos judeus e parar de ajudá-los a controlar a realidade humana. Abaixo os interesses sionistas! Só vai haver Terceira Guerra Mundial ou Guerra de Gogue e Magogue se o povo não ficar esperto e ceder às armações dos judeus por trás dos Estados Unidos.

As últimas notícias no Brasil rondando o cristianismo o que temos?

Jair Bolsonaro eleva holofotes ao falso altruísmo judeu e aos interesses da comunidade judaica ao ponto de convocar o exército israelita pra resolver problemas de tragédias ambientais no Brasil, de dar pitaco na localização da embaixada brasileira em Israel e de estreitar relações do Brasil com países inimigos de Israel. Bolsonaro faz apologia, cessões e propaganda ufanista para os Estados Unidos, colocando inclusive o povo brasileiro à mercê do ianque. O papa bate na mão de uma mulher que o segurou agressivamente em meio a uma multidão e a reação do eclesiasta vira estardalhaço na mídia de direita, a mesma que está por trás desse sensacionalismo envolvendo EUA X Irã. O grupo Porta dos Fundos ganha destaque por postar em seu canal no Youtube uma história de Natal em que Jesus e seus discípulos são gays e isso assanha a ira principalmente da comunidade evangélica, que é atiçada também com a provocação alegando que se fosse no meio islâmico o insulto às personagens religiosas os atores e produtores do Porta dos Fundos iriam ser decaptados em praça pública em vez de terem apenas o repúdio do fiel contra seus atos, como a sugerir ser o cristão um bundão perante o muçulmano e quem sabe com isso fazê-lo reagir de forma a mostrar que também briga por seu Deus.

Ou seja: estão trabalhando a mente do povo para se voltar contra muçulmanos, para idolatrar os Estados Unidos. Eu sei que a Arábia Saudita é comparsa dos Estados Unidos nessa investida contra o Irã, mas, também sei que esse país árabe e muçulmano é vendido e dominado pelo Ocidente por meio das empresas petrolíferas.

A briga não tem nada a ver com religião. Se tiverem que interpretar como o
cumprimento de uma profecia bíblica, no caso a tal Guerra de Gogue e Magogue, estarão forçando a barra. Estarão usando os textos bíblicos para arrebatar adeptos à incursão indevida dos Estados Unidos ao Irã e a seus aliados – como a Rússia, a Coréia, a Venezuela – se aproveitando do fato de que o Irã é um país muçulmano.

O Golfo Pérsico, onde se situa o Irã, é o grande berço arqueológico onde se
encontra toda a verdade sobre os fatos propagados na Bíblia. O grande segredo do Cristianismo estaria em risco se tudo o que já se encontrou por ali de arqueologia bíblica tivesse a decifração exposta. O risco é de ser esclarecido de maneira que a massa entenda, pois, aos poucos capazes de se desprender da lavagem cerebral cristã basta ler o livro “A chave de Hiran”, onde todo esse material encontrado é decifrado e discutido de maneira bem contundente de modo a fazer o Cristianismo cair no chão. Por isso que estimulei a leitura no início dessa conversa. Poderia até não tirar o medo do surgimento de uma guerra mundial, mas, combater a estratégia de arranque de assinaturas em pró dela isso combateria. Teriam que partir pra outro assunto, de repente até admitir que o Capitalismo está esgotado.

Então, eles usam esses episódios bíblicos, que não passam de linguagem cifrada para esconder os interesses judeus repassados através da Bíblia, longe do entendimento dos imperadores e da aristocracia greco-romana, durante o Império Romano, quando os judeus não tinham a liberdade e o poder que têm hoje pra recrutar pessoas,  as preparando ideologicamente para bradar contra quem quer que vá contra as crenças cristãs, alavanca de apoio às causas sionistas de dominação do mundo, escravização da humanidade gentia e estabelecimento de uma ordem mundial em favor dos judeus. Tudo que o verdadeiro Jesus Cristo, destampado categoricamente nas páginas do livro “A chave de Hiran” se opunha e por isso foi crucificado.

Então é isso! Se quiser se aliar a mim, copiar meu comportamento, é só ignorar essas notícias que te dão mastigadinhas pra recrutar você para causas obscuras.

Extraio do livro “Os meninos da Rua Albatroz” o trecho de um poema deixado nas páginas da publicação:

Tudo é questão de desejar a libertação
De buscar um mundo novo e de parar a escravidão
Não ler jornal, não ouvir rádio, não ver televisão
Filhos da Terra: saíam dessa prisão.

Tudo é questão de desejar a libertação
De buscar um mundo novo e de parar a escravidão
Não houve nenhum calvário, nenhuma ressurreição
Filhos da Terra: saíam dessa prisão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: