Respeitável público, com vocês, a prisão de Eike Batista

1485776114_140360_1485795614_noticia_normal_recorte1

IMAGEM: El País

E, ENTÃO, UM BILIONÁRIO VOLTA PARA O RIO PARA SER ENCARCEIRADO EM BANGU 2, RASPAM-LHE A CABEÇA E O POVO, SEM SABER O PORQUÊ, SE SENTE DE ALMA LAVADA E ACHA QUE É TUDO COISA SÉRIA?

Bem, em primeiro lugar eu gostaria de lembrar a todos que esses showzinhos que aparecem na mídia liderada pela TV Globo, prendendo tubarões da política e do empreendedorismo, não me ganham a atenção e nem me convencem de que não são roteiros bem construídos para enganar a opinião pública. Só idiota mesmo é que acredita nessa de que um bilionário, que pode simplesmente pagar um presídio próprio se realmente estiver envolvido em um inevitável encarceiramento (os Acima da Lei que tocam a Lava-Jato iam adorar botar a mão nessa grana), vá voltar para o Brasil para se entregar às autoridades e ir morar no inferno porque não completou a faculdade e por isso não tem direito à prisão especial.

Como pessoa pública ultrafamosa, Eike teria o direito de cela especial até por motivo de segurança para a própria casa de detenção. E o cara não passou por julgamento nenhum, só por denúncias. Quero dizer, não sei como funciona esse sistema penal brasileiro com essa montaria que anda tomando as decisões passando por cima de tudo e de todos, mas, antes era assim. Se não é mais, sei lá quando mudou. Às vezes, também, o bilionário passou por um Tribunal de Justiçamento maneirado.

Julian Assance, que ficou famoso com o site Wikileaks, não é muito mais rico do que Eike Batista e está protegido da Justiça dos Estados Unidos (sim: a Justiça séria dos Estados Unidos e não essa coalisão mídia/judiciário que chamam de Justiça no Brasil) morando na embaixada do Equador em Londres. Tenho certeza que se Eike Batista quisesse ele poderia fazer o mesmo, no mínimo no próprio Estados Unidos. Gente menor do que ele e comprometido com um monte de ulalá está livre e mandando prender no Brasil, o que querem mais?

Eike foi incentivador do Pré-Sal e tinha simpatia pelo PT. O grande foco nele é esse. Querem vender mesmo a Petrobrás e precisam ganhar a aceitação do público para isso, oferecendo para ele esses números de gente importante indo presa, com a TV Globo como Mestre de Cerimônia na apresentação, com exclusividade, do teatrinho. A acusação de repasse de propina para Sérgio Cabral é só um paliativo para te distrair e fazer você achar que teorias conspiratórias como essa não pode ter fundamento.

Se você não tomar cuidado, dar muita atenção para esses números e se ocupar repercutindo, você vai ver aonde você vai parar. Quer que eu te antecipe? No capítulo final a Petrobrás e o Pré-Sal vão para os gringos que estão por trás da Lava-Jato e os avatares que estão posando e que vão posar de detento ficarão todos livres, em alguma parte do mundo, talvez no Caribe ou nas Ilhas da Polinésia, para não citar Dubai, enquanto você pensa que eles tomam banho de sol por vinte minutos no presídio perto da sua casa.

Bem-vindo ao Governo Temer: Queima de arquivos nos presídios?

150527020107_congresso_nacional_brasil_bbc_640x360_bbc_nocreditO povo espera que aqui nesse “libertário” aconteça uma revolta dessas que vêm acontecendo em penitenciárias. Só que, porque o povo espera e é quem deveria organizar uma revolta, o paraíso da corrupção irá continuar sem membros merecedores nos presídios.

Se tem uma coisa que eu não acredito de jeito nenhum é em coincidência. E quando essa coincidência passa de uma única ocorrência e tem como palco um local onde pessoas com características até certo ponto uniformes se reúnem, é que eu não acredito mesmo.

Por exemplo: Se acontece um tiroteio em um restaurante de luxo no Rio de Janeiro e logo depois acontece o mesmo em São Paulo, está dentro da minha tolerância de uma ocorrência apenas, mas não deixo de suspeitar que não haja nenhuma coincidência nesse acontecimento. Minha cabeça já começa a procurar motivos para que os dois fatos ocorressem em períodos pouco distantes um do outro em estabelecimentos de mesmas características. Para mim, já está na cara que se trata de um grupo terrorista seguindo uma agenda de atentados para alcançar algum objetivo. Quem sabe os frequentadores dos restaurantes possuem o perfil que os terroristas queriam aterrorizar ou são quem eles desejavam eliminar, ou se trata do modus operandi dos matadores. Por aí vai!

É por causa dessa dificuldade em acreditar em acontecimentos parecidos, em locais diferentes e em tempo curto de diferença um do outro, é que me junto aos que desconfiam de que essas rebeliões que vêm acontecendo em presídios no Brasil, que teoricamente não têm comunicação entre si, não se explica por ser só um surto de descontrole em penitenciárias que acabam em cenas de violência e em mortes.

Em 2016 tivemos episódios do tipo no Ceará, em Maio; no Acre em Outubro; em Rondônia, também em outubro. 32 mortes somando tudo. Fonte: Wikipédia. 2017 começou quente: 1 e 2 de Janeiro em Manaus; 6 de janeiro: Boa Vista; 14 de janeiro: Rio Grande do Norte. Ao todo, cerca de 100 mortes, conforme alguns sites contam. Vide uma fonte: Clique!

O que será que está por trás disso? Vou listar o que eu já ouvi em rodas de discussões sobre os assuntos que estouram na mídia.

Será que há um interesse governamental em reduzir os gastos com a manutenção dos presos e, daquela forma que ninguém desconfia, uma facilitação para que presos se confrontasse no ambiente prisional fosse empregada? Ou será que no Brasil esperam iniciar pelos presídios a redução populacional necessária para equilibrar as contas do mundo? Retaliação da situação para com o partido deposto, que seria uma maneira de mostrar para o próprio como é que se deve tratar presos?

Os estados onde ocorreram as rebeliões que foram destacadas são governados por representantes de partidos que não o PSDB, seria uma tentativa de assassinar a reputação dos governantes desses partidos no quesito segurança prisional para alavancar uma campanha eleitoral pró 2018 que acumularia votos para um partido que tivesse influência dentro dos presídios para se chegar a tal acontecimento e prometesse o contrário? É claro que a oposição não estaria livre de suspeita, fitando uma tática que reza que se for possível para um grupo criar um caos que faz despencar um governo, a volta ao posto é mais garantida.

Seria o buraco que dá passagem para as teorias conspiratórias ainda mais embaixo: Essas rebeliões teriam interferência estrangeira, quem sabe da CIA, visando uma intervenção dos Estados Unidos, junto à ONU, com a permissão de Michel Temer? Tal qual fizera Getúlio Vargas em 1942 quando autorizou a ocupação norte-americana em Natal, Rio Grande do Norte, onde os yankees teriam feito seu “Trampolin para a Vitória” aproveitando-se da ideal posição geográfica da cidade praieira para o poderio militar dos EUA e dela decolar seus caças para combater na África.

O segredo por trás da estratégia atual seria usar o álibi de tomar conta da região afetada, não só o Rio Grande do Norte, que está incluido entre os locais onde há prisões com rebeliões em 2017, até que a situação esteja sobre controle e garantias de segurança para os locais pudessem ser dadas? Qual seria o propósito dos states nessa investida gerada ficticiamente? Da outra vez rendeu à Getúlio Vargas a liberação de um empréstimo de 20 milhões de dólares, que foi empregado na construção da Usina de Volta Redonda, conforme registros informados pelo historiador Luís Eduardo Suassuna. E a Barreira do Inferno, em Ponta Negra, Parnamirim, RN, foi levantada um tempo depois, em 1965. Não, Temer não seria tão sarcástico de simular uma onda de fúria em presídios para vender nosso território sem que o povão suspeite disso e ainda o implore o fechamento do negócio! (kkkk)

Consigo perceber que há muito o que pilhar lá em cima. A começar pelas riquezas da Amazônia. Já que foi mencionado a Barreira do Inferno, a base de Alcântara, no Maranhão, estado que sedia a penitenciária de Pedrinhas, que foi destaque em 2015 na categoria “rebeliões de grande porte em presídios”, não está muito longe e de repente pode haver algum interesse para os EUA o lançamento de mísseis… Hum, aí já é forçar bastante a amizade! Seria um ótimo álibi deixar o mundo assustado com mortandade de presos e arrancar adesões para uma intervenção no país. Operação de falsa bandeira é com os conspiradores mesmo, uai sô!

Será que se fizerem um levantamento das vítimas, se encontraria informações preciosas de quem são elas e com o que ou quem elas poderiam estar relacionadas? Um mapeamento das prisões onde ocorreram os incidentes apontariam para o próximo local a ser atacado? Queimas de arquivo poderia estar no páreo das suspeitas dos conspiracionistas? Afinal, teve parlamentar que disse “que deveria era morrer mais”, não teve?

Bem conspiracionista, não acha? Até eu, que adoro uma TC, pedi os caras para maneirar, pois beirava riso. Mas, vai saber, né?

Aguardaremos, então, a próxima rebelião para obtermos respostas mais claras. É claro que cada um tirará da conclusão oficial a própria. Só espero que não venham com essa de que são fatos isolados coincidentes o que se vê nos noticiários ou que o que ocorre são  disputas internas entre facções nos presídios. Facções conhecidas por suas legendas até pelos agentes da Lei nas prisões, os quais não deveriam jamais deixá-las se organizar de tal modo. E assim: “pronto, tá explicado”. Se deu na mídia, né, vou duvidar?