2019: A data limite

Vídeo obrigatório para quem quer se desenvolver espiritualmente e precisa de um norte para entender o que se deve esperar do futuro aqui na Terra. Saiba sobre as suas obrigações para que você possa ser feliz e por conseguinte permitir que toda a humanidade seja.

Como fazer seu dia passar devagar

Nos dias de hoje, as pessoas se queixam de que mal o dia começa e já acaba, mal é Ano Novo e já é novamente Natal. Tudo passa muito depressa. Não se tem tempo para nada. Não se pode perder tempo. Daí, frases como “a vida é curta” e “antigamente o tempo passava mais devagar” ganham a boca das pessoas como se fossem verdades absolutas.

No entanto, a vida é curta para quem vive pouco. E, embora haja cientistas dizendo o contrário, a Terra continua fazendo seus giros em torno de si e em torno do Sol com a mesma velocidade e percorrendo a mesma distância, portanto, as horas continuam a serem formadas de 3600 segundos pra gente viver cada um.

O tempo não existe. O que faz-nos ter a sensação de eventos cíclícos acontecendo é o nosso cérebro. Desconsiderando a ação das nossas crenças e afazeres nesta análise, para influenciarmo-nos a ter a sensação de ver o tempo passar mais lenta ou mais rapidamente basta enganarmos nosso cérebro. Por exemplo, se ele realiza muitas atividades num mesmo período, ele estará funcionando aceleradamente e com isso estará com a atenção hiper ocupada, como a observar um jogo de ping pong. Os minutos não serão sentidos e por isso as horas tendem a encurtarem-se. Em contrapartida, se o cérebro faz o contrário, ele começa a trabalhar mais espaçadamente, podendo observar tudo o que acontece, nos mínimos detalhes.

Uma das formas de fazer isso, enganar o cérebro para observar o passar dos eventos mais rapidamente ou mais lentamente, é utilizando um artifício que faça mudar a vibração do corpo, se possível para a vibração natural com que viemos ao mundo. Utilizando essa manobra vemos surtir em nós mesmos alguns efeitos que contribuem para notarmos o dia a passar mais ou menos lentamente. Mantemos uma respiração rítmica e prazerosa, mantemos a mente mais aberta e observadora, nos movimentamos mais ou menos suavemente. Adotamos a frequência normal de cada coisa. Nada de dar passadas largas quando deveríamos andar no passo normal estabelecido pela natureza para o ser humano. Se distribuirmos o prazo que temos para executar cada rotina a que nos dignamos a fazer durante o dia considerando nosso ritmo normal, não precisamos correr para nada.

E algo curioso que tenho observado desde que entrei nessa de mudar minha vibração para a vibração normal do ser humano: Quando estamos nessa situação de estar regulado, realizando fluxos no tempo certo, parece que influenciamos os outros a se ajustarem a nós. Ou parece que os observamos em câmera lenta ou achamos que eles imaginam estar a andar em velocidade maior do que a que realmente andam, a qual nós, ajustados, temos a exata dimensão de qual é a velocidade correta com que os outros deslocam-se. Parece que mudamos os hábitos dos outros quando mudamos o nosso, pode até ser, mas, de primeira mão, penso que o que ocorre é isto: observamos tudo na real velocidade dos acontecimentos enquanto que quem não está sintonizado com o seu ritmo natural observa-se e observa ao redor conforme o seu estado mental.

Para completar a tática de fazer o tempo mover conforme se deseja, e no caso: para torná-lo mais rentável, procure ir dormir e acordar cedo. Só isso já faz o dia crescer. Perdemos muito desperdiçando alguns horários em que deveríamos estar a dormir e outros em que estar a levantar durante eles produz reflexos positivos incomensuráveis para a saúde física e mental e ajuda-nos a aproveitar bastante o dia, achando que há prazo suficiente para conferir e construir qualquer coisa e nos pegando sempre a dizer “nossa, ainda são tantas horas”. Construir no cérebro a sensação de que o tempo passa devagar é um grande passo para a prosperidade, uma vez que nos livra do stress causado pela sensação de estar em uma correria. Sair do stress conta muito para ser feliz.