Sendo dono do próprio destino

Como as pessoas te tratam é o karma delas; como você reage é o seu
(Trulshik Rinpoche)

O provérbio tibetano atribuído ao dalai lama Kyabje Trulshik Rinpoche nos ajuda a lidar com a lei da ação e reação. O bater de asas de uma borboleta na América do Sul pode provocar um terremoto no Japão. Logo, a borboleta tem que meticular seus movimentos, pois, ela pode determinar o destino de muita gente de olho puxado lá no Oriente.

Da mesma forma, os seres humanos devem procurar meticular suas ações uns para com os outros, pois, uma pessoa pode causar uma mudança moral à outra. E a mudança ocasionada pode fazer toda diferença na vida de alguém.

Mais do que agir, passamos a vida a reagir. Reagimos ao meio material ao mesmo tempo que interagimos com ele. E entre as coisas com o que interagimos estão as outras pessoas. Reagimos às ações delas e elas às nossas. Reagimos, inclusive, às nossas próprias ações.

E cada vez que nos pegamos agindo estamos modificando as coisas. E ao reagir estamos sendo modificados ou travando batalhas para impedirmos de sê-lo. Quando agimos recebemos o carma de causador de transformações no mundo e quando reagimos nos sujeitamos às causalidades, no caso da frase: morais.

Eis que as vezes podemos notar que as ações dos outros em nossa direção não são boas. Devemos, então, ter mais controle sobre nossas reações, pois, nessas vezes a reação que tivermos tem que ter o objetivo de afastar o carma de quem nos tenta afetar. Essa tarefa, então, se torna o nosso carma.

Você sabe por que você vive?

Olá! A partir desta postagem inicio aqui um projeto que testei o interesse da audiência em outro blog e migro para cá. Trata-se de publicações que utilizam frases de impacto próprias, de outros autores, de sabedoria popular ou de desconhecidos para se discorrer em reflexões motivacionais. No local original foram publicadas cerca de dez frases, todas elas serão republicadas aqui. Esgotada a migração, o projeto seguirá com novas publicações. Espero que aprecie e não tenha receio de reagir à postagem ou compartilhá-la com alguém que possa estar precisando do tipo de reflexões lançadas nelas.

“Quem tem uma razão para viver encontra como”
(Friedrich Nietzche)

Nietzche foi um filósofo bastante perturbador. Sua filosofia colocava em xeque as escoras das sociedades, tanto de seu tempo como as de hoje em dia. Entretanto, quando ele chamava atenção para alguma observação sua, valia muito a pena conhecê-la a fundo. E a frase acima é prova disso. A frase correta é “Quem tem uma razão de viver faz qualquer coisa para superar as dificuldades“.

A maioria das pessoas não sabe porque acorda todas as manhãs. Suas vidas, vividas no piloto automático, não fazem nenhum sentido. Para elas: nascemos, recebemos os cuidados de nossos pais, desmamamos, somos batizados em alguma religião, educados para formar em alguma profissão. Ingressar nela e exercer obedientemente o ofício com o propósito de constituir patrimônio e independência financeira, casar e construir família, educando os filhos para seguir a mesma trajetória.

Quando algum dos que seguem esse ritual sente que esse modelo traçado para ele não está funcionando de modo a lhe fazer se sentir realizado e feliz, o tédio bate, o stress se torna insuportável e acontece de a vida ser ameaçada pela profunda depressão que gera uma ainda mais profunda tristeza. Angústias que aparecem e quem as sente não sabe o que fazer para se libertar delas, para continuar vivendo. Às vezes falta dinheiro; às vezes trabalho. Às vezes, amigos. Por simplesmente não se encontrar meios de fazê-los ou de estar com eles. Às vezes uma companhia para dissipar a solidão e a falta de carícias e de sexo.

Nessa condição, o melhor a fazer é procurar uma razão para viver por ela. Dedicar cada hora do dia em função dela. Se vir atravessando qualquer insatisfação ou dificuldade em nome dela. Imaginando serem os malogros passos necessários para tornar possível a vida em função dessa razão.

Podemos supor, pode-se até não admitir, mas, a maneira como vivemos expressa a razão de vivermos, ainda que inconscientemente. Muitas pessoas desenvolvem predileção por masoquismo ou por ser maquiavélico, ou pior: por prostrar-se na mendincância ou na dependência de álcool ou de drogas.

Mas, o fato é que em algum momento elas programaram para se tornarem no que se tornaram, viver da forma que vivem. Determinaram uma razão para viver que exige que elas sejam como elas são e leva até elas tudo que elas precisam para continuar sendo como são.

Isso mostra como é forte e otimista essa observação do filósofo alemão. Qualquer que seja a situação que nos encontremos nela, basta encontrarmos uma razão sublime o bastante para nos tirar dela caso estivermos insatisfeitos. O culto à uma razão de viver faz com que encontremos maneiras para viver.

Reflexões materializadoras

Alguém relata o prazer obtido ao adquirir certo modelo de automóvel e isso inspira a desejar o mesmo. O inspirado não adquire veículo algum, mas, obtém o mesmo prazer o desejando. O Universo dá é a emoção que se quer e não o objeto do desejo.

Se você continua a trabalhar no emprego que não gosta e a andar sem dinheiro no bolso, mas, internamente sente as sensações que desejava sentir tendo essas questões resolvidas, então, você molda a sua realidade. A existência são as sensações que experimentamos.

Um magnata que ostenta seu patrimônio está a inspirar os outros a sua ostentação e não o patrimônio. Se o indivíduo menos materialista experimenta as mesmas emoções que dá ao magnata a sua ostentação, em nada um é melhor do que o outro.

Ser livre é entender que independe a felicidade de acúmulo material ou posição de destaque na sociedade, bastando prover-se, usando do artifício que for, das mesmas emoções que essas supostas conquistas trazem.

Perceber a existência como um manancial de emoções a serem experimentadas e buscar experimentá-las ainda que por meios diferentes dos mais propagados é ser dono do próprio nariz e dar banana para o materialismo.

Se você chegou aos cinquenta anos de idade sem filhos e livre das crenças, dogmas e costumes que o Sistema implanta, ainda que sem dinheiro e subempregado, você é um homem bem-sucedido.

O Universo não pode levar até você o bem material que você aspira e sim a emoção que você quer sentir com a aquisição. Portanto, desde já aproveite dessa emoção, pois, ela é atendida imediatamente, você pede e já a recebe. A motivação dada pelo culto dessa emoção é que leva a ter também o bem material desejado.

O Universo com o qual entramos em contato e em orações fazemos pedidos a ele é o psicológico e não o físico. O psicológico atua no físico e o molda, mas, para isso é necessário que aquele que pretende realizar essa tarefa se encha de disposição para fazer o que tiver que ser feito para se condicionar a realizá-la. Essa motivação vem com a assimilação da emoção que se espera viver estando a tarefa realizada. Essa, como é psicológica sua nascente, independe do trabalho concretizado.

O livro “Todo o mundo quer me amar” em sua essência põe o leitor para fazer essas reflexões e dá dicas de exercícios e exemplos de situações comuns de se vir no cotidiano real que confirmam ou melhoram a expectativa de se colher na realidade individual – e até na coletiva – exatamente o que propõem essas reflexões.

Bem-vindo ao Governo Temer: Com os cumprimentos de Margareth Tatcher

Estar no poder é como ser uma dama. Se tiver que lembrar às pessoas que você é, você não é.” (Margaret Thatcher)

3980674-3x2-700x467

Parece premonição essa frase de Margaret Thatcher. Cabe como uma luva para Michel Temer. É provável que muitos brasileiros não saibam que o presidente do Brasil é ele. Coisa que não acontecia com Dilma Rousseff, que tal qual a ex-primeiro ministro do Reino Unido nunca posou de dama, embora essa última tenha sido registrada na História carregando a alcunha de dama de ferro.

E, então, o STF perdeu um relator importante, que estava prestes a fazer coisas importantes para o caso que a equipe de juristas que ele compunha controla as investigações. Acho que “controla” é palavra melhor do que “coordena” diante ao que se vê na mídia. E o presidente (acho que é esse o cargo) não pode indicar um substituto para o relator vitimado em uma queda de avião, pelo fato, conforme fontes pesquisadas, de ser ele “um dos nomes dos nomes mais citados nos depoimentos dos diretores da Odebrecht que o ministro agora falecido estava para homologar e que seriam divulgados no próximo mês” (Brasil 247).

Eu estive bebendo umas hoje com um amigo que morou nos Estados Unidos durante anos. E ele entrou na onda que prega que “Donald Trump é o cara”. Me disse que deseja votar no Bolsonaro para presidente da república em 2018. E que acha que as reformas pretendidas por Michel Temer serão boas para o Brasil. É claro que só concordamos em um ponto: eu tenho também lá minha simpatia por algumas “trampices” do Trump.

Esse meu amigo acha que o ricaço presidente dos Estados Unidos deveria ter um cover na presidência do Brasil. “Com toda certeza o Bolsonaro é que não é esse cover”, eu disse isso pra ele. Completei dizendo que talvez o atual prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, seja. Kalil é também rico, iniciante na política e destrambelhado. Mas, por serem iniciantes em administração pública, tanto um quanto o outro tem-se que esperar para saber se eles conseguirão manter o salto alto em qualquer circunstância. No caso do brasileiro: até na hora em que o PSDB resolver conspirar para depô-lo. Já que Kalil jogou para escanteio um tucano na eleição que venceu. E já que o PSDB tirou do posto a Dilma.

Nessa onda de cultuar vídeos virais e lembrar de grandes frases ditas por pessoas públicas espalhados pelo Whatsapp, meu amigo – recém “zapzapador” – me mostrou um vídeo que continha o depoimento de um brasileiro que mora nos states, no qual o cara faz apologia ao Trump e põe essa caraminhola de haver um similar dirigindo o Brasil. Conforme ele: se isso ocorrer e Trump não cumprir a promessa de legalizar os imigrantes clandestinos que gostam de trabalhar, ele volta para o país cheio de orgulho. Vai saber o que ele vai fazer se só a segunda condição para a volta dele se confirmar.

E depois do vídeo, meu amigo me mostrou um jotapegue (kkk – não pus entre aspas porque estou registrando o termo antes do dicionário Aurélio) contendo a frase abaixo, que é de Margaret Tatcher:

Deixe-me dizer em que acredito: no direito do homem de trabalhar como quiser, de gastar o que ganha, de ser dono de suas propriedades e de ter o Estado para lhe servir e não como seu dono. Essa é a essência de um país livre, e dessas liberdades dependem todas as outras.

Ok! Concordo com tudo e principalmente no que se refere ao Estado. Só que, quem se alinha com Donald Trump, não pode se alinhar com Margaret Tatcher, pelo menos no que diz a frase agora acima. O que faz o bilionário – pelo menos o que dizem na mídia que ele faz ou pretende fazer – é típico de país livre? E um cara como o Bolsonaro chegando ao poder, podemos ter a expectativa de o indivíduo ter o Estado para lhe servir e não como seu dono? E as reformas que Michel Temer quer fazer sendo viabilizadas na íntegra, é um fator compatível com o direito de o homem trabalhar como quiser?

É, acho que fiquei muito confuso nessa conversa de hoje. Ainda bem que a cerveja estava gelada e saborosa. Meu amigo teve que interromper a degustação por causa de uma pequena desorganização que apareceu em sua casa e as pessoas para quem ele ia emprestar alguns pertences foram lhe chamar para ajudá-las em meio à bagunça. Aproveitei a deixa para lhe lembrar uma frase, já que ele me mostrara uma e a gente falava sobre política:

Qualquer mulher que entenda os problemas de cuidar de uma casa está muito perto de entender os de cuidar de um país.
(Margaret Tatcher)

Nunca deixe de querer para si o melhor

fraseaavitor

Às vezes a gente se auto-aniquila por pensar que insiste bastante em querer para si algo que possa ser extraordinário demais. Auto-aniquila porque é comum pessoas nos tentar tirar da ilusão de tentar, nos fazendo pensar que é melhor por os pés no chão e desperdiçar tempo com o que pode dar certo, mesmo que esse certo seja só amenização. No fundo, estes gostariam de ter a mesma fibra que nós e lutar pela mesma coisa. É a luta deles também.

Mas eles desistem. Acham que não conseguem obter o que é grandiloquente demais. E não querem se sentir sozinhos como covardes e fracassados que são. Nessa, tentam nos sabotar a expectativa e vorazmente a luta. E às vezes conseguem.

Mas, quando não conseguem, ou quando nos incentivam a manter o propósito e a brigar contra tudo para vê-los em prática, lamentando não poder ir junto conosco, o que a gente ganha com a perseverança pode valer para eles também. Se você não concorda, por exemplo, com uma decisão do Governo, porque ela, digamos, te cria perdas que os governantes não têm e por isso as projetam para os da sua classe respeitar, se você alcançar o seu desejo, todos da sua classe terão alcançado os deles.

Antes de atrapalhar ou simplesmente criticar a luta de alguém, verifique no que ela pode ser útil para você se ganha. Então, se não puder auxiliar, ignore!

Todo mundo pode criar seu futuro

A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo” (Peter Drucker)

Se ponha em uma estrada, de frente para um grande terreno baldio. E então você olha para aquele vazio todo e imagina que nele devesse haver alguns coqueiros ladeando uma casa aconchegante, onde você pudesse morar.

Bom, para que essa miragem possa se tornar uma verdade é preciso que você aja. Se o terreno não for seu, crie condições para adquiri-lo. Uma vez adquirido, plante no terreno os dois coqueiros no lugar onde você imaginou, cuide de regá-los todos os dias, adubá-los idem, e espere o tempo certo, pois, certamente outra coisa não acontecerá senão você ver crescido, no futuro, os dois coqueiros que plantou. Enquanto esse tempo não chega, você constrói sua casa entre as duas árvores.

Mais tarde, quando a verdade se fizer, se do mesmo ponto da estrada você olhar para o terreno antes baldio, o verá exatamente como você imaginou. Previu o futuro? Não: o fez.

casa-coqueiros

IMAGEM: http://fotos.noticias.bol.uol.com.br/entretenimento/2011/08/08/jardins.htm

Aproveite a imagem e pratique o exercício de visualização. Deixe-se influenciar por ela.

Todo mundo quer amor

O grupo “Todo Mundo Quer Amor” do Facebook exibe frases motivadoras e reflexões inspiradoras em seu mural e agora o material ali registrado poderá ser conhecido neste espaço aberto. Utilize o item “Todo mundo quer amor” da opção “Contos de Verão: A casa da fantasia” do menu deste site para acessar as publicações.

O grupo foi inspirado no livro, por essa razão a conexão com o menu do próprio. O livro “Contos de Verão: A casa da fantasia”, além de ser inspirador do ponto de vista da gestão de negócios e relacionamentos interpessoais, por ser um conto consta também um romance, daí a conexão.