O segredo por trás da fórmula da Coca-Cola

Imagine se você desvendasse o segredo da fórmula da Coca-Cola. No meio comercial é supostamente o maior segredo do mundo. Você se transformaria em uma autoridade no assunto conhecedor de segredos.

Mas, de que valeria ser uma autoridade dessas? O que é possível fazer com essa informação guardada consigo apenas?

Você só poderia provar para os donos da fábrica se saberia ou não a tal fórmula, que teoricamente são quem poderia dar crédito ao que você disser. As demais pessoas iriam duvidar de você saber mesmo o tal segredo, exceto se você fizesse a revelação do próprio para que elas testassem o que você publicar.

Por outro lado, se você tornasse público o que sabe, as pessoas lançariam mão dos ingredientes da fórmula e dos equipamentos necessários à fabricação do elixir que você mencionasse e comprovariam se o que você revelou seria ou não íntegro.

Caso fosse, você se colocaria na mesma condição de conhecedor desse segredo que teria o menos interessado em sabê-lo. Deixaria de ser uma autoridade no assunto. Só teria utilidade para você ter se dignado a desvendar a informação guardada a sete chaves se você viesse a ganhar algum dinheiro para torná-la pública. Mas, quem arriscaria pagar pelo que poderia ser uma fraude?

Especulando de outra forma, o que adviria caso você não ganhasse dinheiro algum e fizesse a revelação para o público testá-la e comprová-la?

Você, aí sim, ganharia status de grande descobridor de segredos. E o segredo que viesse a ameaçar contá-lo publicamente, seus detentores ficariam com uma pulga atrás da orelha coçando para alertar que o impedisse de fazê-lo.

Tirando a opção mais imaginável, de que sua vida correria o risco de ser exterminada pelos donos dos segredos ameaçados, Eles poderiam te procurar para pagar pelo seu silêncio; poderiam aproveitar o status que você alcançou e pagá-lo para revelar outra informação em vez da real e assim manter o segredo ainda mais guardado; ou poderiam não prover pra você dinheiro algum e pagar para ver o que acontece depois.

Nessa última opção você só ganharia dinheiro do público que quisesse conhecer a informação. E à essa altura, com o status que você alcançou, qualquer coisa que você dissesse seria interpretado como a verdade verdadeira. Você só teria que ser hábil em fornecer argumentos contundentes, caso não soubesse mesmo a verdade.

E os que você ameaçasse, mesmo se você revelasse a verdade derradeira, desde que o segredo a ser revelado não fosse algo passível de qualquer um comprovar se sentiriam protegidos.

Por exemplo: “O que está por trás do Cristianismo“, “A verdadeira cara do futebol“, “Como opera a Grande Mídia“, “O real bastidor da política brasileira“, “é segura qualquer atividade que se faz na internet“, “Existe mesmo o projeto Echelon“, “A Deep Web é uma armadilha para internautas curiosos incautos” não são passíveis de se ir atrás da comprovação de argumentos como é no caso de uma receita de refrigerante. Despenderia dinheiro para se verificar os fatos relatados e acesso a documentos daquilo que fosse informado. Por isso é que os que protegem segredos como os listados ficam seguros quanto ao que conspiram.

Entretanto, a tendência das pessoas é tomarem atitudes libertárias quando entram em contato com informações contundentes a respeito de um assunto obscuro. Quando a certeza de antes a respeito de um assunto vira dúvida, elas enxergam se há mesmo uma real necessidade de se manterem no culto ao assunto e procuram se livrar dele devido à falta de segurança no acreditar. Elas forçariam a moralização e transparência de tudo que envolve o assunto, pois, seus administradores, para não perder público ou clientes, prefeririam agir na honestidade e deixariam rolar naturalmente o que quer que fosse o seu meio de ganhar dinheiro.

Por exemplo: Se alguém questiona que seja sério o Futebol e consegue fazer com que outros conheçam os argumentos de seu questionamento, e esses, sendo verdadeiros ou não, sejam válidos por serem contundentes, aos poucos a multidão prefere se vir livre de dedicar parte de sua vida à essa instituição e procurar afazeres mais beneficentes a ela, cuja constatação de verossimilidade esteja a seu alcance.

Portanto, alguém que queira destruir o sistema escravizador de mentes que estamos submetidos a ele só precisa desenvolver sensibilidade para criar desconfianças e habilidade em coordenar ideias e tecer argumentos. Além de, é claro, ter uma mídia que possa contar com ela para fazer aparecer a sua questão.

Neste texto fica claro o porquê de nunca vermos aparecerem na mídia corporativa questionamentos e discussões que são do real interesse da população em absoluto ou de intelectuais marginalizados que sejam expostos. O abalo de negócios de empreendedores que patrocinam essa mídia é a maior razão de ela proteger o assunto de ser atacado. Uma das táticas que a mídia emprega para oferecer resistência quando um ataque vaza é classificar os atacantes como débeis mentais ou pessoas sem credibilidade ou classificar o que dizem como a se tratar de “teorias conspiracionistas”. Agora também é moda rotular como uso de marxismo cultural ou marxismo ideológico.

A mídia livro literário é uma mídia livre. Nas páginas de um livro circulam informações que podem ajudar a desvendar os mais badalados segredos ou acabar com a escravização que sofre a humanidade, devido ao crescimento do intelecto que a absorção de informação não engessada provoca. Não é à toa que aqueles que dominam os sistemas mundiais marginalizam os livros e fazem as pessoas odiar ler. Quem lê é uma ameaça ao escravismo cultural que pratica o poder dominador global.

O livro “Os meninos da Rua Albatroz” oferece informações contundentes que se não revelam ajudam a revelar grandes artifícios criados para manter a população iludida e inerte contra o poder global. “A origem da Bíblia e do Cristianismo“, “A verdade sobre os OVNIS e os extraterrestres“, “A conspiração por trás da engenharia alimentar e da água potável“, “O grande plano por trás das indústrias“, “A colonização praticada pela mídia“, todas essas questões e outras mais encontram no livro um adversário para a manutenção das versões que são ministradas ao público. O link para a compra do livro: Clique!

O que está por trás do fim do Blogger?

O Blogger Brasil pertencia à Globo e a Google comprou. Nos últimos anos temos visto como a Google tem ficado amiguinha da rede de comunicação odiada pelos brasileiros. Pedem pra tirar isso do Youtube porque tá manchando a imagem da megera com material que é dela própria e a Google tira. Às vezes tira ou inibe o view de material até que a Globo não tem direito algum sobre ele.

Apareceram um monte de blogs hospedados no Blogger por conta da Google, e com endereço blogspot.com, que atacam a Globo. Dor de cotovelo e mordedura de raiva por imaginar estar sendo atacada em território que seria dela própria, pelo menos o domínio, deve ter passado pela cabeça dos donos e executivos da Globo.

Desde 2015 que exatamente a Globo anunciou que vai acabar com o serviço de espaço livre para pessoas comunicarem-se pela internet com um grande público. E agora não é mais boato, pois, de cinco blogs que eu mantinha no serviço que eu achava que era da Google, agora estou na dúvida, apenas um ainda posso atualizar. Não sei até quando. Os outros ainda estão no ar, mas, perdi o acesso para editar.

Se a Google comprou o Blogger, em parceria ou não com o primeiro administrador da marca, por que haveria de ficar sem seus clientes blogueiros sob a alegação de que a Globo não vai mais continuar servindo o domínio? Se é este o problema, não está difícil resolver, é só providenciar um domínio, volta o Sites Google talvez, e faz um batch de atualização de DNS. A não ser que a história não seja bem essa e as hospedagens também pertencem ao terceiro. Meus blogs sumiram do meu perfil.

O interesse da Globo é visível: abafar blogueiros que contam as notícias muito antes dela e, além de tudo, com ótica que discorda da verdade que ela é contratada para propagar. E muitas vezes, o que reza o blogueiro, que nem sempre é jornalista, é muito mais crível ou pertinente de se tratar da verdade incontestável do que o que todo o Partido da Imprensa Golpista publica. Se bem que os bons mesmo estão no WordPress.

É que a Globo, pode pesquisar pra ver, tem aparecido sempre encabeçando as listas de buscas no Google. Deve tá dando um bom dinheiro para os norte-americanos do radar de busca. Torçamos que fique nisso. Ainda podemos usar o WordPress ou constituir nossos próprios sites. Perigoso é se de repente essa organização manipuladora mencionada, que para mim é terrorista, tiver poder para ir mais além do que isso e oprimir na internet o povo que a odeia e cercear sua opinião e sua capacidade de registrar corretamente os fatos.

O Blogger anda capengando. Está carente de blogueiro ativo. O Facebook anda abocanhando esse filão com suas fan-pages. Pode ser, também, que haja nisso uma tática da Google para se livrar de ter que despejar todo mundo abertamente.

Fonte de parte das informações: Ferramentas Blog