Bitcoin: A moeda da paz?

Moedadapaz

As cédulas de dinheiro possuem um número de série. Quando se compra algo com elas, elas são passadas para um novo dono.

O recebedor confia passar para o pagador um produto em troca delas porque esse número de série garante que a nota é válida.

Os outros detalhes que autênticam a cédula contra falsificação só se justificam por não haver como o sujeito verificar em todas as negociações se o número de série existe ou não.

Mas, no caso do dinheiro convencional não é preciso saber se pertence mesmo o dinheiro àquele que entrega a nota.

Já com a criptomoeda o número de série apenas não garante a integridade do dinheiro.

E na hora dos pagamentos é preciso saber se quem efetua o pagamento tem mesmo aquele dinheiro e se é ele mesmo quem efetua a ação. Daí a necessidade de encriptação e do uso de chaves públicas e privadas.

Quando se saca uma criptomoeda, a porção virtual fica com quem realiza a troca.

Na prática funciona assim:

Eu trabalho e cobro 10 Bitcoins pelo que produzo. Quem me paga transfere da carteira virtual dele pra minha.

Isso envolve certificar se na espécie de banco central da moeda há a conta do correntista que negocia comigo e quanto de dinheiro eletrônico há nela.

Ticando todos os processos, a quantia é transferida.

O saque envolveria um banco ou algum negociador que aceita receber Bitcoins e devolver cédulas convencionais. Obviamente, este cobra um ágio por isso.

Um problema ocorre quando o banqueiro é que precisa do dinheiro. Quem irá trocar pra ele? Se fosse dinheiro físico bastava o banqueiro abrir o cofre e tirar a quantia desejada se nele houver.

Já o virtual não é simples assim. Não dá pra abrir o banco de dados ou o servidor e fazer o mesmo. Ou seja, se inexistir a necessidade de saque, o modelo monetário estaria completo.

Portanto, com o dinheiro virtual a fidúcia é maior. Embora os bancos estejam por n motivos sujeitos a guardarem em papel para um correntista menos do que seus sistemas dizem que ele tem.

Porém, pagar com bitcoin por um trabalho ou produto obtidos pela internet é seguro. Também é seguro comprar a moeda para realizar tais transações.

E assim, mineradores trocam dados por grana em espécie a certo valor em moeda corrente e banqueiros trocam grana em espécie por dados por certo valor em moeda corrente.

Pessoas fazem compras com criptomoeda gastando certo valor em moeda corrente que tiveram que depositar para um banqueiro.

Pessoas recebem em criptomoeda por sua produção, fixado o valor em moeda corrente, que sacarão de um banco.

Quando tudo puder ser feito eletronicamente, o dinheiro físico deixará de existir.

E a violência que oriunda da necessidade dele idem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: