Fazer dos Bolsonaro os Romanov

veja-osbolsonaros

Por mais argumentativas e motivadoras que sejam as duas últimas postagens, esqueça tudo! Jair Bolsonaro é mais sombrio do que podemos supor. Talvez o que ele quer para o país não seja nenhum estado-mínimo beneficente ao povo.

Alguns de nós viram transitar pelo mural do Facebook uma jpeg exibindo dois ou três negros acorrentados e segurando enxadas, remetendo a imagem aos tempos da escravidão no Brasil. O slogan da jpeg dizia: “lembra quando no Brasil havia menos direitos e mais emprego”. Alusão a uma das frases de impacto de Jair Bolsonaro que de tão demagógica lhe arrematou votos.

Pois, novos fatos nos fazem pensar que se essa jpeg era só uma provocação ou chacota, de repente ela está para lá de correta no que diz respeito ao que vem por aí: O Grande Expurgo de Jair Bolso’stalin’.

E não se incomode com o teor de teoria conspiracionista. Resistir é contar com que às vezes, de tão inacreditável a verdade deixa de ser conhecida. E por não antecipar os acontecimentos pode-se cair do cavalo. Bonitinho. Por isso, dê olhos e ouvidos à divagação que se segue e caso sofra um porre racional e visualize mais possibilidades, nefastas ou não, compartilhe.

Sim, bolsonarista, você foi doutrinado a odiar o comunismo e a repugnar o herói soviético Josef Stalin. Entretanto, o seu herói, Jair Bolsonaro, encarna como mito este que ele te faz repugnar. Sua arrogância e ditadura inspirada, também, embora equivocadamente, em ícones soviéticos, não me espanta.

Para mim tanto faz, pois, Lenin, Trotsky e até Nikita Krushev, assim como Stalin são heróis. Se o herói bolsonariano se fazendo de oponente imita os comunistas ou incita o comunismo, eu não posso melhorar isso para ninguém. Cada um escolhe quem idolatra. O imitador, cujo contato com seu eleitor de massa é por meio de lives e feeds na internet, é quem deve provar sua originalidade.

Toco neste assunto por causa dos últimos acontecimentos que permeiam a transição presidencial no Brasil. Jair Bolsonaro tem dado tanto poder para os ruralistas, que estou vendo que ele pretende transformar o Brasil exatamente na Cuba que ele tanto tece e faz seus seguidores pensarem que o país original é tal qual ele ilustra. Um país atrasado tecnologicamente, cuja população não tem liberdade de ação e nem de expressão, e, sobretudo, de economia pecuarista agrícola. Com uma medicina implacável, mas, convenientemente sem Nobel, por isso deve ser desprezada.

Parece que Bolsonaro esconde haver um grande contrato de exportação de alimentos para o Tio Sam. Uma bolada que o país não dependerá da venda de nenhum outro produto e nem de vender para outros países. Talvez seja até por isso que Paulo Guedes cospe ao falar sobre o Mercosul; Bolsonaro inventa de mudar embaixada brasileira para Jerusalém e compra guerra com os árabes, principais parceiros comerciais do país; e andam acatando ordens estadunidenses de manter-se longe da China.

E como seria isso? Já é bem visível que Bolsonaro quer fazer da amazônia brasileira uma grande fazenda. Contratou uma ministra da agricultura especialista em pôr índio pra correr e ganhar o território dele pra entregar para os ruralistas. Aí é só entrar com sementes e manadas de bois e de búfalos e botar pra produzirem.

Pra derrubar tratados que protegem a amazônia da devastação: um ministro das relações exteriores, blogueiro que desenvolve teorias conspiracionistas, dentre elas uma que faz descrer no Aquecimento Global, principal fator que segura os tratados sobre o clima e torna a amazônia área inviolável à exploração mercadológica.

Não se esquecendo que também com base em teorias conspiracionistas Bolsonaro quer tirar o Brasil da ONU e do Acordo de Paris. Talvez, seguindo a agenda preenchida pelos Estados Unidos, ficar livre desses órgão e pacto seja a melhor forma de viabilizar a derrubada de árvores na selva amazônica e o genocídio de índios e quilombolas.

O próximo passo é convencer a população da necessidade disso. Pra isso, um ministro do meio-ambiente que diz que explorar comercialmente a amazônia é a melhor forma de preservar e defender a área. Os empresários do agronegócio – incluindo os Marinho e supostamente sua funcionária decadente Regina Duarte – ainda estão aplaudindo essa poderosa consciência ecológica que ele inaugura.

Entra em cena Paulo Guedes e sua carteira verde-amarela. O benefício do transporte só vai ser dado ao trabalhador no momento da migração dele, de todo o Brasil, para a região de produção – ou campesinato de concentração.

Trabalhar na lavoura e na pecuária Grande Amazonas, financiada pelo BNDES, o único banco estatal a ser mantido, porém a ter um único beneficiário – o próprio banqueiro – será a nova peregrinação para Serra Pelada, onde, conforme algumas fontes seguras, o pai de Jair Bolsonaro trabalhou como garimpeiro e por isso mister “arminha com a mão” gostaria de garimpar nas horas vagas.

O Brasil vai esvaziar então? Vai todo mundo produzir alimento in natura pra exportar para os EUA transformar em enlatado e vender pro mundo todo, incluindo de volta para o Brasil? Aquela forma antiga de comércio exterior que Lula conseguiu reverter retornará.

O grosso da população que sobrar não só dos “trinta mil” que têm que morrer: sim. Não vai ter emprego noutro lugar.

E todos vão querer ir. Os ricaços empresários governadores de cada estado vão incentivar. Paulo Guedes já ameaçou: “Se não cooperarem com as reformas, governadores, não vão ver dinheiro da União“.

E eles já devem estar avisados que não mais vai ser os estados a repassar o dinheiro da produção regional para a União. Quem vai fazer isso é o Tio Sam, com o pagamento de suas importações ao Brasil.

Os estados não vão mais ter autonomia econômica sobre a federação por se encontrarem arrecadando pouco devido ao estado-mínimo imperando na sociedade e o baixo consumo interno devido ao parco número de consumidores com hábil poder de consumo.

Plano maravilhoso, não? Ata as mãos de todo mundo. E sem motim, pois, se amotinarmos vamos para cadeia por causa da criminalização de movimentos sociais legitimada na Lei Antiterrorismo que Dilma implantou e Bolsonaro melhorará em seu favor o texto. E ó: sistema prisional privado. Ou seja: trabalho incondicional de sol a sol nas penitenciárias.

No Sul e no Sudeste ficarão os barões e os burgueses bon vivants, bebendo champagne e arrotando caviar às custas do pobre trabalhador brasileiro. Tendo mais regalias que jamais tiveram os ladrões petralhas em sua suposta roubalheira exclusiva durante o tempo que estiveram legitimamente no poder.

O Nordeste já sabemos que o destino desejado pela cúpula honestíssima e cristã seria o extermínio em massa dos habitantes. Mas, creio que viram que é um povo que sabe se defender. E votar. Ao Tio Sam, na região só interessam a Base de Alcântara, a Base Naval de Alecrim e a Barreira do Inferno. Militarmente são pontos importantes. Em troca eles ajudam os moradores do Nordeste a se manterem vivendo do turismo que oferece o resto da região. E forró para todos!

E quem vai punir os bolsonalhas se todo o sistema judiciário do Brasil, assessorado  e rendido para os Estados Unidos, vai estar do lado deles? Além de JB também estar eleito legitimamente e ainda autorizado a fazer a atrocidade que cismar de fazer, pois, não mentiu em nada disso para quem deu a bandeira de votar nele. Cisma é com o JB mesmo!

Nada a temer senão o correr da luta / nada a fazer senão esquecer o medo“. Um quadro absurdo e opressor desses é bom que liberta a coragem para desagregar da sociedade. Faz ligar o foda-se e partir para a anarquia sem medo de qualquer consequência. O caboclo surta até sozinho, mesmo sabendo que sozinho seja a forma mais eficiente de ele se ferrar. Guerrilha silenciosa não terá efeito nesse panorama.

A última vez que uma bizarrice dessas aconteceu na história, o povo, chamado de bolchevique, estourou o fusível da tolerância e revoltou-se de um jeito que nenhuma lei que criminalizasse motins ou o que quer que fosse ficaria de pé. Se mandaram para a Casa Ipatiev para enforcar o Czar Nicolau Alexandrovich II. Acabaram foi executando a família toda. A tiros. Coisa de população armada. Pobres Romanov! Daí apareceu pro mundo a primeira nação socialista.

Eu acho que por aqui isso não seria muito difícil de ser copiado. Aliás, o brasileiro adora copiar os acontecimentos do exterior, não é mesmo? Até um Trump dos trópicos a gente já tem!

Antes mesmo que a corda se arrebente, uma massa de malucos inconformados deve surgir. Disposta a lançar à mão foices e martelos para usar como armas no lugar de ferramentas de trabalho. E sem porte.

Em vez de ir para a lavoura agrar ou para os pastos tocar a boiada, rumaria essa massa para Brasília ou para onde estiverem os opressores magnatas que deverão ser depostos. Daria de mão de qualquer convenção civil que tenha legitimado os cargos dos perseguidos e tomaria à força seus postos.

Deixaria de lado vontades antigas como a de dar um basta na ditadura dos Marinho ou no sarcasmo dos Abravanel. Encarnaria o espírito de um bolchevique. Alcançaria o “Palácio da Alvorada”. E, ainda que estivessem em carros e casas blindados, faria dos Bolsonaro os Romanov. Que a bancada evangélica, em vez de se ocupar recusando nomeação de ministro da educação opositor da Escola Sem Partido consiga cristianizar essa família para que isso não aconteça!

Preparar a nossa invasão
E fazer justiça com as próprias mãos
Dinamitar um paiól de bobagens
E navegar no mar da tranquilidade
Toquem o meu coração
Façam a revolução

(RPM. Trecho da canção “Rádio pirata”)

Leitura indispensável neste momento: “Os meninos da Rua Albatroz“.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: