No mundo de Sofia

lula-1024x614

E se de repente tudo for um grande teatro? Lula e FHC continuam amigos, como nos tempos em que o primeiro ajudou o segundo a se firmar na política. A turma que na época da Ditadura Militar peitava os militares na rua, clamando por democracia, que se divide hoje em partidos de direita e de esquerda, está mais unida do que nunca e comanda o espetáculo de manchetes, cada um com o seu papel, que nos fazem indignar, sofrer, sentir vontade de abster-se da política e de fugir do Brasil, deixando tudo pra eles como eles querem.

E se de repente existe um grande plano traçado lá nos anos 1970 ou nos oitenta entre esses nomes de direitistas e esquerdistas que vemos desfilar na mídia e o que presenciamos, com mais peso pela tela da TV Globo, não passa de esquetes para esse plano funcionar? Se quando era a vez de estruturar o país empresarialmente e privatizar as empresas públicas que os militares criaram, os tucanos ganharam a vez por ser o PSDB um partido voltado para os interesses do patrão? E quando foi a vez de desafogar o povo da miséria para dar a ele condições de criar o consumo que as empresas criadas, emancipadas, implantadas ou desenvolvidas no governo tucano tivessem para quem vender os produtos e serviços sobressalentes da exportação, o cetro foi passado de mãos beijadas para o PT? No fim, é tudo uma grande maçonaria e todos eles confraternizam nela. Só a gente é que não. A gente só vota, só põe eles lá. A gente só contribui. Paga imposto, pratica o consumo, trabalha e dá audiência.

E se de repente, durante a vez do pobre, o Partido dos Trabalhadores exagerou no cumprimento de seu papel, fez mais do que tinha que fazer e o avanço que deu à classe trabalhadora comprometeu as divisas do país, de um jeito que a garantir todos os benefícios conquistados pelos tutelados do partido o orçamento público fadaria a falir em poucos anos? Não tendo feito coisa errada alguma, tendo havido corrupção alguma, mas, errado nos cálculos. Sendo esses erros irreparáveis, senão por meio de medidas drásticas, que incorrem em ajuda internacional e venda de estatais e de empresas nacionais competitivas. Ajuda que se viesse pelo simples vir a opinião pública não aceitaria nem à força. Daí a razão da participação massiva da grande mídia para chocar e conduzir essa opinião. O PT teria pecado por excesso.

Se de repente, todos os congressistas, de direita e de esquerda, durante o segundo Governo Dilma se reuniram com empresários e poderosos, do Brasil e do estrangeiro, para traçar uma estratégia de socorro que levasse o país às reformas para o Trabalho e para a Previdência, ao corte orçamentário e às perdas de benefícios pelo povo, considerados necessários para se retomar o progresso? Daí saindo a Operação Lava-jato e a queima de imagem do Partido dos Trabalhadores e da Esquerda brasileira, cuja finalidade seria tirar do povo a ternura absorvida nos anos de conquistas jamais imaginadas pela Classe Media. Ternura que ficou declarada no momento em que Dilma foi reeleita.

Se de repente o impeachment de Dilma Russeff foi um golpe que teve a condescendência da própria e de todo o PT. Se de repente Michel Temer só é um testa de ferro que topou bancar o tirano e sofrer as consequências do choque ideológico que levaria o povo com as medidas votadas por toda classe política e empresarial para serem tomadas, simplesmente pelo fato de que alguém teria que fazê-lo e ele seria o mais indicado por ser na ocasião da estruturação do plano o vice-presidente do país?

Se de repente nomes como Jair Bolsonaro apareceram na cena só para garantir de o povo continuar a ter aversão pelo tipo militar e com isso fazer minar qualquer tentativa de intervenção da classe, ainda que supostamente tenha partido de liberais civis esse tipo de solicitação para que a sombra dela contivesse a também suposta conduta dos congressistas mais badalados na mídia e daqueles que pregam sem medir consequências a implantação do Socialismo?

Se de repente a posição que passou a ocupar na política o Supremo Tribunal Federal, bem como a parcialidade que demonstra ter em relação a políticos conservadores e grupos empresariais alinhados com a compra de empresas brasileiras, faça parte do jogo? Fazendo parte também os movimentos de rua e das centrais sindicais; o surgimento do avatar Sérgio Moro e sua perseguição ao Lula; as prisões mega midiáticas que supostamente teriam acontecido; os deliciosos casos de vazamentos por meio de escutas telefônicas e delações premiadas, que lavam a alma dos que se contaminaram com o ódio ao Lula ou ao Aécio; a constrição intestinal causada nos que diariamente se submetem aos dejetos que caem do reto da Grande Mídia, sobretudo da Rede Globo e da Editora Abril.

Se de repente, mesmo tendo a mídia bastante habilidade para moldar a opinião do público, o fato de ainda assim o povo insistir em votar no Lula em 2018 é que levou o ex-presidente da república a aceitar ser finalmente setenciado por seu suposto perseguidor e quem sabe dar um fim na esperança do povo em fazer justiça contra esses manipuladores da realidade nacional, ter seus direitos de volta e voltar ao ponto em que Dilma parou e retomar o caminho que o país estava seguindo, o qual incomodava bastante a elite global que financia e coordena todo esse circo?

Se de repente, de verdade mesmo só exista a sua atenção às notícias que saem e a sua reação a elas? Se de repente, de verdade mesmo só exista a necessidade de você criar um senso mais crítico e bradar contra o sistema que o envolve, o colocando na simples posição de expectador, deixando que pseudos dramaturgos tomem decisões para o seu futuro e para o futuro da sua casa, o Brasil, sem deixar que você participe disso ou que pelo menos saiba o que realmente está acontecendo na sua nação.

Quem é realmente herói, quem é realmente vilão, quem está do seu lado. Em que se pode acreditar? O que não é trapaça? O que não é golpe de opinião? O que é proteção da nação? Feita por gente que sabe de tudo o que acontece nos bastidores do mundo e que sabe que evitar a perda de soberania do Brasil e consecutiva colonização dos brasileiros se trata de um jogo de xadrez difícil de jogar pois, os melhores enxadristas estão à mesa. Você sabe dizer corretamente qual é a verdade?

Eu escolhi boicotar tudo isso. Não acredito em nada do que sai na mídia como verdade e menos ainda faço repercutir.

“Por diferentes motivos, a maioria das pessoas é tão absorvida pelo cotidiano que a admiração pela vida acaba sendo completamente reprimida.”
Jostein Gaarder em “O Mundo de Sofia”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: