Não queremos reforma política, queremos o fim do PT

naoqueremosreformapolitica

Utilizo esta postagem para deixar claro para todos os que me leem e que possam ter se identificado com as minhas opiniões voltadas para a esquerda, que estou apoiando o Governo Bolsonaro. A questão é que as propostas desse governo, que só vieram à luz agora que ele foi eleito, me interessam. Incluindo a Reforma da Previdência. Se a campanha eleitoral do próprio tivesse deixado claro o que planejavam implantar, teria recebido meu voto. É claro que sei agora o porquê de terem arriscado tanto e feito pessoas como eu abominarem a candidatura de Jair Bolsonaro. E é exatamente isso a razão desta postagem.

Tenho frequentado grupos de apoiadores do Bolsonaro. E entrado em contato com o material que neles são postados. Não sei qual material tem menos nexo: se o de direita ou se o de esquerda. Todos são idiotas e levam a lugar nenhum. E nos dois lados, se a sua opinião for favorável à causa apreciada, mas, não conter ataque ao lado oposto, ela é ignorada ou ridicularizada. Quanto a isso, a falta de amadurecimento político não muda em nada em ambas as facções.

Os bolsonaristas agora estão propagando ataques ao STF. Colocando-o, só agora, como o verdadeiro inimigo do Governo Bolsonaro. Se esquecem que o ministro da justiça é quem coordena o STF – Supremo Tribunal Federal – e que da mesma laia de juristas ele participou antes de chegar ao posto que chegou.

Se esquecem que o STF teria cuidado para que Lula fosse preso, o que foi decisivo para a vitória do candidato do PSL à presidência da república.

Essa prerrogativa poderia muito bem ser rebatida, se o timing da prisão fosse outro. Por que Lula não foi preso em 2015 por exemplo? Ou, deixado participar das eleições, continuado o processo e, caso constatado instrumento definitivo de acusação, ou seja: prova cabal de um crime, com ele eleito, fosse punido e impedido de seguir mandato presidencial.

É óbvio que não queriam que isso se desse, pois, o vice petista é quem o substituiria. Mas, por que a prisão às vésperas da eleição?

Se esquecem que o STF, podemos dizer que através de um braço seu, o TSE – Tribunal Superior Eleitoral -, como ficou parecendo para nós que não temos acesso ao que não é noticiado pela grande imprensa, foi omisso em apurar fatos relevantes na campanha eleitoral de Jair Bolsonaro. Como, por exemplos: a facada estranha, a máquina de espalhar fakenews, a fuga dos debates, a propagação de ódio e de opinião afrontadoras da nação.

Só recentemente é que fui detectar que me inscrevi em várias páginas ditas esquerdistas no Facebook, as quais teriam sido criadas pelo marketing do PSL. Este reunira em várias destas pessoas para o fim de receber material falso de ataque ao PSL, propagar e na própria página supostamente esquerdista ver comentado por membros delas, considerados infiltrados, ou até mesmo por administradores do canal de comunicação, críticas e chamadas de atenção por propagar inverdades que ocasionavam mais aversão à esquerda por parte do público não cooptado ou ainda não cooptado pela direita. Sem estes, é claro, revelar que era esse o propósito.

Por vezes eu estranhava por que cargas d’água alguém com visível perfil bolsonariano compartilhava o que eu publicava nas páginas. Caí que nem patinho, mas aprendi mais sobre marketing de destruição de reputação. E o quanto é perigoso opinar e colher opinião em redes sociais na internet. Falei com muito perfil falso, inclusive por inbox. Ainda recebo reações em postagens vindo de perfis suspeitos.

Golpe de mestre esse dado pelos marqueteiros bolsonaristas. Nisso estaria envolvido o Facebook – nos outros locais, as outras redes sociais -, a grande imprensa – incluindo a que emprestava seu crédito para ser ancorado links de notícias falsas em seus sites, empresas consagradas e uma série de outros participantes, que estariam comprometidos com a mesma causa.

Deve ter havido um encontrão em alguma fraternidade esotérica onde congregam políticos, empresários, religiosos, mafiosos, midiáticos do mundo todo, para ser passado o papel de cada um no que teria sido e ainda seria um grande plano para salvar uma nação, sem ter que responsabilizar consistentemente os causadores do rombo, que certamente seria todo esse pessoal.

Como dizer que não saberiam desse esquema, que só posso chamar de suposto, os magistrados em evidência na ocasião? Sendo os mais notáveis a Janaína Paschoal, que se viu beneficiada sendo eleita deputada estadual muito bem votada e agora estaria sinalizando, conforme a agora suspeita Folha Uol informa, saída do PSL por inconformar com os esquetes envolvendo os Bolsonaro, e Joaquim Barbosa, que ajudou bastante no número quando às vésperas da eleição de segundo turno declarou seu voto ao PT, o que deu ar de erguimento à candidatura de Haddad e fuga das desconfianças sobre a credibilidade do sistema judiciário quanto às omissões que protagonizou.

Dentro desse raciocínio, se o STF fosse conspirar contra o governo deveria primeiramente trocar todos os magistrados e colocar as ações nas mãos dos substitutos, como manda a lei do rabo preso. E a recíproca também é verdadeira: se o governo fosse conspirar contra o STF teria que primeiro haver renúncia do presidente da república, levando junto seu vice, e troca de todo o ministério por políticos que nada teriam a ver com o peixe podre.

Logo, para bom entendedor, ou o bolsonariano é bem burrinho ou compactua de um segredo que sobre ele só podemos divagar. Aguarde a divagação ao fim da postagem.

Outra coisa que os bolsonaristas estão exigindo em seus antros é reforma política. Eles também têm sido jogados contra seu partido, assim como o marketing anti-PT jogou então petistas contra o PT. Com isso eles abriram os olhos para uma questão que foi uma das razões para que Dilma Rousseff sofresse o impeachment.

No momento em que Dilma apertava o cerco para votarem a Reforma Política e a taxação sobre grandes fortunas é que todo o Congresso se viu necessitando tirar o PT do posto. Pois, acabaria as regalias de políticos, quantidade de cargos e outras mamatas, que junto com a sobrecarga do orçamento público, dada principalmente pela Previdência, quebram o país.

Nessa versão conspiracionista, Michel Temer teria estado todo esse tempo tentando socorrer não só a nação, mas, também seus irmãos da política, que incluiria a ex-presidenta, da qual era vice. Sobre isso divagarei em outra postagem.

O interesse desses direitistas conservadores marias-vai-com-as-outras que hoje exigem reforma política era que tirassem o PT de campo. Isso foi feito. Mas, e aí? Agora, por exemplo, o alvo deles é o PSol. Se este partido for destruído, virarão-se contra o de esquerda que sobrar. É esta a consciência política e proposta de avanço social e nacional que eles têm: Vingança contra os inimigos que arrumarem para eles terem.

Se tivessem esses direitistas se unido com os esquerdistas da época para lutar pela reforma política que Dilma precisou de apoio popular para fazer discutirem e aprovar, as conquistas seriam muito maiores. Teriam, inevitavelmente, acabado não só com o PT, mas com vários partidos, independente da linha ideológica, uma vez que a Reforma Política visava a diminuição de partidos políticos. E ainda facultado mudanças no orçamento público, atuando diretamente na eliminação das despesas dos que mais gastam desse orçamento, os políticos.

Só as viagens de Jair Bolsonaro andam publicando, sem o acusado procurar desmentir, que passam dos 13 milhões de reais só nesses quatro meses de governo.

Quanto ao suposto desconforto do governo com o STF, eu penso que o mesmo faz parecer que enfrenta uma oposição invencível da esquerda. Prepararia, junto com o próprio STF, com o apoio indesconfiável de políticos progressistas, na verdade é um palco para uma nova tomada do poder pelos militares.

O motivo seria a situação econômica do país estar realmente drástica. Isso sendo de conhecimento de todos os partidos. Ao ponto de terem armado todo esse circo que temos sido expostos a ele e nutrido opiniões a respeito. E teria ocorrido de o governo ter identificado que mesmo quem o apoiou nas eleições anda não concordando com as mudanças radicais, inevitáveis, na economia, no trabalho e no sistema estatal.

Medidas que seriam imprescindíveis e implanta-las é o que essa turma que ocupa a presidência e a esplanada ministerial teria ido fazer nos cargos, custe o que custar.

Acharam que seria mais fácil essa aceitação bastando ter destruído literalmente a adesão à política petista, mas não foi assim.

Mas, não se assustem, pois, será um regime militar de fachada, caso venha. Focado só nas mudanças necessárias. As questões sociais, sexuais e de liberdade de expressão não sofrerão cerceamento.

E essa nova ditadura durará somente até que sejam implantadas as reformas e assimiladas as mesmas pela sociedade. Logo devolverão aos brasileiros, que estarão adaptados a um sistema civilizatório novo, a democracia nos setores onde foi tirado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: